25 set, 2017

Especialistas falam sobre fatores de risco para o comportamento suicida

Palestra promovida pela AMRIGS teve foco no uso de crack e álcool durante a adolescência

Em palestra realizada na Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), na quinta-feira (14/09), os psiquiatras Sérgio Noll Louzada e Rafael Moreno Ferro de Araújo discorreram sobre o tema, destacando entre os fatores de risco, o uso de drogas.

– O crack tem como uma de suas consequências, o suicídio. Estudos apontam que em cinco anos, a cada três dependentes, um deles acaba morrendo tirando a própria vida. O perfil predominante do usuário hoje é o jovem do sexo masculino com situação socioeconômica inferior e ligado ao tráfico, embora este contexto esteja sofrendo algumas alterações. No Rio Grande do Sul, 2% da população é dependente. Quando comparado a outras drogas, este índice é baixo. Porém, a consequência do uso é pior do que qualquer outra – destacou Louzada.

O atendimento destes pacientes foi outro aspecto abordado pelo psiquiatra. De acordo com o médico, a maioria dos usuários de drogas procura os serviços de emergência para internação sem o devido acompanhamento, que deveria ser realizado pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas. O psiquiatra informou que, com uma média de 30 pacientes em atendimento, 50% é usuário de crack.

A prevenção, intervenção na crise e o pós-suicídio foram os aspectos abordados por Rafael Araújo, que apresentou o protocolo utilizado pelas equipes de saúde de Arroio do Meio.

– A prevenção passa pela identificação e rastreamento em populações de risco. No Rio Grande do Sul, os homens, com idade aproximada aos 50 anos, com baixa escolaridade e que atuam em funções elementares, são os mais propensos em praticar o ato suicida – exemplificou Araújo.

Ainda segundo o psiquiatra, o acesso ao tratamento no Rio Grande do Sul é baixo devido às dificuldades de políticas para contar com especialistas na rede de atendimento. Com relação ao pós-suicídio, o médico reforçou que o fato é grave tanto para a família quanto para os profissionais de saúde. A indicação do especialista é oferecer um acompanhamento para todos os envolvidos.

O evento integra o Ciclo de Palestras, iniciativa da AMRIGS, cujo objetivo é oferecer palestras sobre temas atuais. A atividade também é alusiva à campanha institucional “Saúde Preventiva: Pratique essa ideia!”. As próximas edições contam com o Outubro Rosa, com palestra sobre câncer de mama e AVC; o Novembro Azul, um painel sobre câncer de próstata e de pele e o Dezembro Laranja, uma edição extra sobre o comportamento suicida devido a grande procura sobre este assunto.

Além dos tratamentos psicoterápicos e psíquicos, os pacientes também podem entrar em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do telefone 141 ou pelo site http://www.cvv.org.br.

Trackback URL: http://playpress.com.br/2017/09/25/especialistas-falam-sobre-fatores-de-risco-para-o-comportamento-suicida/trackback/

Leave a comment:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *